Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/2342
Title: NOTÍCIAS SOBRE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER VEICULADAS NA MÍDIA: um estudo a partir da Análise do Comportamento.
Other Titles: News about violence against women served in the Media: A study from the behavior analysis.
Authors: OLIVEIRA, Paula Kruger Figueiredo de
Keywords: Violência contra a mulher; Mídia; Análise do Comportamento; Homens autores de violência
Violence against women; Media; Behavior Analysis; Male perpetrators of violence
Issue Date: 6-Jul-2018
Publisher: UFMA.
Abstract: A violência contra a mulher é um fenômeno complexo e multifacetado que envolve diversos elementos histórico-culturais, permeado por questões de gênero, étnico-raciais, de classe e de geração. No mundo, quase 30% das mulheres que já estiveram em um relacionamento também já vivenciaram algum tipo de violência física e/ou sexual por parte do parceiro íntimo. A frequente presença de notícias sobre violência contra a mulher na mídia é um reflexo da realidade social, uma vez que a mídia é uma instituição que informa e retrata o que acontece no mundo, sendo capaz de fornecer modelos e influenciar comportamentos. O presente trabalho teve como objetivo analisar a forma que a mídia veicula a resposta agressiva do homem autor da violência nas notícias sobre violência contra a mulher, considerando os motivos alegados, os eventos antecedentes e consequentes e a influência de variáveis culturais, em especial o controle por regras. Foram analisadas 19 notícias sobre violência contra a mulher do ano de 2017, disponíveis no site do portal G1, que foram classificadas de acordo com os motivos alegados para a violência, a descrição da resposta agressiva e o tipo da violência de acordo com a Lei 11.340. Nos resultados, observou-se que os motivos alegados apresentaram explicações causais para a violência, destacando-se o inconformismo com o término e o “ciúme”. Também foi observada a presença de regras sociais que podem ter controlado a resposta agressiva descrita nas notícias, como “se não for minha, então não será de mais ninguém” e “se ela me traiu, então merece apanhar”. A partir dos dados encontrados, conclui-se que a mídia, em especial a imprensa, é uma agência controladora que é capaz de transmitir regras sociais e controlar o conteúdo que é consumido, a partir da explicação que é dada, dos motivos que são alegados e do recorte do conteúdo que é transmitido. Sugerem-se, por fim, alternativas de mudança na forma com a qual as notícias são redigidas e apresentadas.
Description: Violence against women is a complex and multifaceted phenomenon involving historical and cultural elements, permeated by gender, ethnic-racial, class and generation issues. Almost 30% of women in the world who have been in a relationship have also experienced some kind of physical or sexual violence from intimate partner. Frequent presence of news about violence against women in the media is a reflection of social reality, since the media is an institution that informs and portrays what happens in the world and is also able to provide models and influence behaviors. The objective of this study was to analyze how the media transmits the aggressive response of the author of violence against women, through news stories published on the G1 website, considering the declared reasons, antecedent and consequent events and the cultural variables’ influence, especially the rules control. A total of 19 news about violence against women, available on G1’s website, were analyzed and classified according to: the reasons given for violence, the aggressive response description and the violence classification. The results showed that the declared reasons presented a causal explanation for the violence, such as “nonconformity with the break-up” and "jealousy" which are the main motivators for the responses of the men who perpetrate violence. It was also observed the presence of social rules that influenced the aggressive response presented on the news, such as "if she is not mine, then she will be no one else's" and "if she betrayed me, then she deserves to be hit", presented on the aggressive response contingency analysis. The data found leads to the conclusion that media, especially the press, is a controlling agency able to transmit social rules and control the content that is consumed by the people, manipulating the explanation that is given for the agressive response, the declared reasons and the content that is transmitted. Finally, it is suggested an alternative to change the way news is written and presented.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2342
Appears in Collections:TCCs de Graduação em Psicologia do Campus do Bacanga

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Paula Kruger.pdf523,65 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

Admin Tools