Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/3057
Title: Benefícios psicológicos da prática de dança em pessoas com diagnósticos de ansiedade e depressão: uma revisão bibliográfica
Other Titles: Psychological benefits of dance practice in people diagnosed with anxiety and depression: a bibliographic review
Authors: FREITAS, Francislane Bonfim
Keywords: Dança
Depressão
Ansiedade
Psicologia
Dance
Depression
Anxiety
Psychology
Issue Date: 7-Jan-2019
Publisher: Universidade Federal do Maranhão
Abstract: Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, atualmente, mais de 300 milhões de pessoas vivem com depressão no mundo, sendo ela considerada a maior responsável por incapacitação para o trabalho e por mortes por suicídio. Já os quadros de ansiedade estão na 6ª posição mundial em relação a incapacitação para o trabalho, com mais de 260 milhões de pessoas com algum diagnóstico. A dança, como uma modalidade de exercício físico e como uma forma de expressão artística e pessoal, pode oferecer muitos benefícios para quem a pratica. Sua história acompanha a própria história do homem, modificando-se em suas funções e características juntamente com a cultura à qual pertence, e desde o século XX tem sido, de maneira sistemática, utilizada como uma forma de terapia. Desse modo, o presente trabalho é uma revisão bibliográfica que teve como objetivo geral identificar os efeitos de intervenções ou prática de dança sobre padrões de depressão e ansiedade, encontrados em estudos empíricos nacionais e internacionais. Como objetivos específicos buscou-se caracterizar os estudos encontrados; identificar os tipos ou práticas de dança utilizadas; categorizar os efeitos identificados; relacionar as intervenções e tipos de dança com os efeitos encontrados e identificar se há diferença nos resultados a depender do quadro psiquiátrico (ansiedade e depressão). A busca foi realizada nas bases de dados Scielo, Pepsic, PubMed, Portal de Periódicos CAPES e Google Acadêmico, com os descritores: “dança” AND “terapia” AND “depressão” e “dança” AND “terapia” AND “ansiedade”, nos idiomas português, inglês e espanhol. Como critérios de inclusão, os estudos deveriam ter sido publicados entre 2000 e 2018; ser resultado de trabalhos empíricos, com descrição detalhada do método utilizado (participantes e procedimento) e dos resultados obtidos; utilizar alguma intervenção sistematizada com uso da dança ou apenas estilos de dança, tais como dança de salão, tango, dança do ventre etc. Os critérios de exclusão adotados foram: o estudo descrever uma intervenção com pessoas que apresentassem sintomas de depressão e/ou de ansiedade como manifestações de outro diagnóstico principal; depressão e/ou ansiedade não serem as principais variáveis avaliadas no estudo; não utilizar instrumento ou técnica de avaliação. A partir das 15 publicações analisadas, identificou-se que os tipos de intervenções e estilos de dança utilizados nas pesquisas foram Dance Movement Therapy, dança circular, programa de treinamento de dança, EXDASE dance therapy (Exercise Dance for Seniors), Biodança, aulas de dança de salão, dança do ventre, tango, square dance e um tipo não especificado. Os efeitos encontrados foram divididos em cinco categorias: redução/regulação de sintomas ou sinais psicológicos, bem-estar, aumento de medidas psicológicas positivas, redução de sintomas físicos e regulação neuro-hormonal. Pode-se afirmar que os efeitos mostraram-se significativos e benéficos para pessoas com quadro de depressão e/ou ansiedade.
Description: ABSTRACT According to World Health Organization, nowadays, depression is the largest contributor to disability and suicide deaths and more than 300 million people live with this diagnosis worldwide. Also anxiety disorders are ranked 6th related to disability and the number of people who live with some anxiety diagnosis is higher than 260 million. Dance, as a physical exercise and as an artistic and individual form of expression, can offer many benefits to those who practice it. Dance’s history follows the very history of man, changing in its functions and characteristics along with the culture which belongs, and since the twentieth century it has been systematically used as a form of therapy. Therefore, the present study is a bibliographic review that aimed to identify the interventions or dance practice’s effects on depression and anxiety patterns found in national and international empirical studies. Specific objectives of this review were: to characterize the found studies; to identify the types or practices of dance used; to categorize the identified effects; to relate the interventions and types of dance with the effects found and to identify if there is difference in the results depending on the psychiatric condition (anxiety and depression). The survey was performed in Scielo, Pepsic, PubMed, Portal de Periódicos CAPES and Google Scholar databases, using the index terms: “dance” AND “therapy” AND “depression” and “dance” AND “therapy” AND “anxiety”, in Portuguese, English and Spanish. The inclusion criteria were: studies should have been published between 2000 and 2018; to be resulting of empirical work, with a detailed description of its method (participants and procedure) and of its results; use some systemized intervention with the use of dance or just dance modalities, such as ballroom dance, tango, belly dance etc. The inclusion criteria adopted were: to describe an intervention with people who present symptoms of depression and/or anxiety as manifestations of another major diagnosis; if depression and/or anxiety are not the main variables evaluated in the study; if the study do not use assessmente instrument or technique. Fifteen studies were analyzed and the dance styles and dance interventions used in the researches were Dance Movement Therapy, circular dance, dance training program, EXDASE dance therapy (Exercise Dance for Seniors), Biodanza, classes of ballroom dance, belly dance, tango, square dance and an unspecified type. The effects found were related to reduction/regulation of psychological symptoms or signs, well-being, increase of positive psychological measures, reduction of physical symptoms and neuro-hormonal regulation. Thus, the effects found in the studies were significant and beneficial for people with depression and/or anxiety.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/3057
Appears in Collections:TCCs de Graduação em Psicologia do Campus do Bacanga

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FRANCISLANE-FREITAS.pdfTrabalho de Conclusão de Curso566,26 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.