Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/5229
Title: Avaliação de produtos de álcool em gel antissépticos comercializados em Bacabal-MA
Other Titles: Evaluation of alcohol gel antiseptic products commercialized in Bacabal-MA
Authors: LOPES, Rayssa Costa Carvalho
Keywords: controle de qualidade;
rotulagem;
análise físico-química;
higienização das mãos.
quality control;
labeling;
chemical physical analysis;
sanitization of hands.
Issue Date: 23-Sep-2021
Publisher: Universidade Federal do Maranhão
Abstract: RESUMO A higienização das mãos com álcool em gel tem se configurado como um dos hábitos mais práticos e necessários na prevenção contra o vírus SARS-CoV-2. O protagonismo desse produto baseia-se na sua ação de desnaturação proteica dos agentes patógenos. Caso esses produtos não estejam dentro dos padrões corretos de rotulagem estabelecidos pelos órgãos sanitários competentes, ou não apresentem características físico-químicas adequadas, podem apresentar riscos a integridade dos indivíduos e ter sua eficiência microbicida reduzida. O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade dos álcoois géis antissépticos comercializados em Bacabal-MA. Foram adquiridas cinco amostras de álcool em gel em diferentes estabelecimentos comerciais, cada uma delas submetidas à análise de rótulos, avaliação das características organolépticas, e análises físico-químicas em laboratório, com a finalidade de verificar e comparar os valores de pH, densidade e viscosidade presentes nas amostras para que se pudesse identificar quais dos produtos estão de acordo às normas estabelecidas pelos órgãos sanitários e apresentavam segurança para a população de Bacabal-MA. A qualidade e segurança são aspectos importantes a serem prezados pelos fabricantes e consumidores, pois o álcool em gel já faz parte da rotina de milhões de pessoas ao redor do mundo sendo um item indispensável contra a disseminação não só do SARS-CoV-2, mas também de outras doenças virais. A partir dos resultados alcançados pôde-se inferir que todas as amostras apresentaram algum tipo de déficit seja na rotulagem (ausência de pictogramas e responsável técnico), seja no aspecto físico-químico (pH, densidade e viscosidade). A amostra “B” demonstrou o menor número de irregularidades dentre as amostras, sendo considerada, como a mais indicada para o uso. As amostras “D” e “E” foram consideradas as mais inadequadas para o uso, seus padrões físico-químicos (viscosidade e pH) apresentaram valores incoerentes com o que é proposto pela ANVISA comprometendo a eficácia do produto e a segurança do indivíduo. Percebe-se, portanto, a necessidade de maior atenção por parte dos órgãos sanitários competentes em realizar ações rigorosas desde a fabricação até a distribuição dos produtos no comércio para que os usuários possam ter acesso a produtos que possuam qualidade e eficácia satisfatória.
Description: ABSTRACT Hand hygiene with alcohol-based hand sanitizers has become one of the most practical and necessary habits in the prevention of the SARS-CoV-2 virus. The protagonism of this product is based on its action of protein denaturation of pathogens. If these products are not within the correct labeling standards established by the qualified health authorities, or do not have the adequate physicochemical characteristics, they may pose risks to the integrity of individuals and have their microbicide efficiency reduced. The purpose of this work was to evaluate the quality of antiseptic alcohol-based hand sanitizers sold in Bacabal-MA. Five samples of alcohol sanitizers were acquired in different commercial establishments, each one of them submitted to label analysis, evaluation of organoleptic characteristics, and physical-chemical analyzes in the laboratory, in order to verify and compare the values of pH, density and viscosity present in the samples so that it could be identified which products are in accordance with the standards established by health agencies and were safe for the population of Bacabal-MA. Quality and safety are important aspects to be cherished by manufacturers and consumers, as alcohol sanitizers are already part of the routine of millions of people around the world, being an indispensable item against the spread not only of SARS-CoV-2, but also of other viral diseases. From the results achieved, it could be inferred that all samples showed some type of deficit either in labeling (absence of pictograms and technical responsible) or in the physical-chemical aspect (pH, density and viscosity). Sample “B” showed the smallest number of irregularities among the samples, being considered the most suitable for use. Samples “D” and “E” were considered the most unsuitable for use, their physical-chemical standards (viscosity and pH) presented values inconsistent with what is proposed by ANVISA, compromising the efficacy of the product and the safety of the individual. Therefore, there is a need for greater attention on the part of the competent sanitary agencies in carrying out rigorous actions from the manufacture to the distribution of products in the commerce so that users can have access to products that have satisfactory quality and efficacy.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/5229
Appears in Collections:TCC de Graduação em Ciências Naturais/Biologia do Campus de Bacabal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RAYSSACOSTACARVALHOLOPES.pdfTrabalho de Conclusão de Curso2,05 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.