Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/6651
Title: “CADA UM É O QUE QUISER, CADA UM É O QUE QUER”: narrativas de crianças sobre gêneros e sexualidades numa súplica à possibilidade de um currículo queer
Other Titles: “EACH ONE IS WHAT THEY WANT, EVERY ONE IS WHAT THEY WANT”: children’s narratives about genders and sexualities in a plea for the possibility of a queer curriculum
Authors: BRITO, John Jamerson da Silva
Keywords: Currículos;
Narrativas Orais;
Gêneros e Sexualidades;
Perspectivas Queer
Curriculum;
Oral Narratives;
Genders and Sexualities;
Queer perspectives
Issue Date: 1-Apr-2020
Publisher: UFMA
Abstract: Caminhar, Narrar e Viver são todos verbos, e são ações intensas que estão presentes ao longo de toda a trajetória desta pesquisa. Caminhar é percorrer uma estrada, Narrar é contar experiências e memórias, e Viver é ter vida, pulsar emoção. E sendo assim, a presente pesquisa caminha a partir das experiências trilhadas em busca da compreensão do currículo através das narrativas orais das crianças entre 09 e 11 anos de idade de uma turma de 5º ano do ensino fundamental da rede municipal de Imperatriz/MA, sobre gêneros e sexualidades, à luz das perspectivas Queer, vividas no Programa de Residência Pedagógica da Universidade Federal do Maranhão. Apresentando como questão norteadora: Como compreender o currículo a partir das narrativas orais das crianças sobre gêneros e sexualidades e propor uma possibilidade de currículo Queer? Os objetivos são: 1. Entender sobre a existência dos múltiplos currículos que se apresentam na escola; 2. Compreender o currículo na visão das crianças por meio das narrativas orais sobre gêneros e sexualidades; 3. Analisar a possibilidade de um currículo Queer por meio das narrativas orais das crianças sobre gêneros e sexualidades. Pautada nos estudos (auto)biográficos, nas narrativas orais, no pós-estruturalismo e nas perspectivas queer, baseia-se em autorxs como Bento (2011), Bourdieu (2012), Bourdieu e Passeron (1992), Louro (2001, 2008, 2018), Miskolci (2009, 2014, 2017), Moura (2015, 2019), Paraíso (2015, 2016) e Silva (2006). Os percursos trilhados foram guiados a partir das rodas de conversas e das narrativas orais das crianças. Ao fim dessa trajetória compreende-se que as crianças narram sobre suas inquietudes acerca das divisões e diferenças dos gêneros e sexualidades, e dessa forma percebe-se que o currículo não está preparado para lidar com essas questões, pois não integra as pluralidades e diferenças existentes, tornando-se necessário a desconstrução deles. Sendo assim, surge a necessidade de uma (re)significação para que a escola torne-se um espaço plural de partilha, construção e valorização de experiências e identidades, considerando o currículo queer uma possibilidade para essas desconstruções.
Description: Walk, narrate and live are all verbs, and also intense actions present throughout the entire trajectory of this research. Walk is travel a road, narrate is share experiences and memories, and live is to have life, pulsating with emotion. Thus, this research is based on the experiences followed in search of understanding the curriculum through the oral narratives of children between 9 and 11 years old in a 5th grade elementary school at the municipal education in Imperatriz / MA, about genders and sexualities, in the light of Queer perspectives, experienced in the Pedagogical Residency Program of the Federal University of Maranhão. As a guiding question: How to understand the curriculum from the children's oral narratives about genders and sexualities and propose a possibility of a Queer curriculum? It aims to: 1. Understand the existence of multiple curricula present in the school; 2. Understand the curriculum in the children's view through oral narratives about genders and sexualities; 3. Analyze the possibility of a Queer curriculum through children's oral narratives about gender and sexuality. Based on (auto) biographical studies, oral narratives, post structuralism, and Queer perspectives, it is based on authors such as Bento (2011), Bourdieu (2012), Bourdieu and Passeron (1992), Louro (2001, 2008, 2018), Miskolci (2009, 2014, 2017), Moura (2015, 2019), Paraíso (2015, 2016) and Silva (2006). The paths followed were guided by the conversation circles and the children's oral narratives. At the end of this trajectory, it is understood that the children narrate about their concerns of divisions and differences of genders and sexualities, and thus it is clear that the curriculum is not prepared to deal with these issues, because it does not integrate the existing pluralities and differences, making it necessary to deconstruct them. Therefore, there is a need for a new (re) meaning for the school to become a plural space for sharing, building and valuing experiences and identities, considering the Queer curriculum as a possibility for these deconstructions.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/6651
Appears in Collections:TCCs de Graduação em Pedagogia do Campus de Imperatriz

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JOHNJAMERSONDASILVABRITO.pdfTrabalho de Conclusão de Curso1,16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.