Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/5936
Title: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE MULHERES VIVENDO COM HIV/AIDS
Other Titles: ASSESSMENT OF THE QUALITY OF LIFE OF WOMEN LIVING WITH HIV/AIDS
Authors: ABREU, Carla Michelle Rodrigues
Keywords: HIV;
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida;
Qualidade de vida;
HIV;
Acquired Immunodeficiency Syndrome;
Quality of life;
Women's Health
Saúde da Mulher
Issue Date: 16-Dec-2022
Publisher: UFMA
Abstract: Introdução: A infecção pelo HIV configura-se como uma experiência com um profundo impacto biopsicossocial, o estigma ainda preconceituoso da doença, associado ao contexto da desigualdade de gênero, além das questões biológicas, socioeconômicas e culturais, condicionam as mulheres que vivem com HIV a sofrimentos emocionais, físicos e psicológicos, ocasionando maior vulnerabilidade e comprometimento na qualidade de vida (QV). Objetivo: Avaliar a qualidade vida de mulheres que vivem com HIV/AIDS. Método: Trata-se de um estudo descritivo e analítico transversal desenvolvido em um Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), localizado no município de Pinheiro – MA. Foi aplicado um questionário para coleta dos dados sociodemográficos. Para avaliar a QV utilizou-se o questionário WHOQOL-HIV BREF. Para análise da normalidade dos dados, foi usado o teste de Kolmogorov-Smirnov. Para avaliar a associação entre as variáveis, foram utilizados o Teste T-Student e ANOVA. Resultados: Participaram do estudo 100 mulheres, a idade variou de 18 a 71 anos. Dentre os domínios de QV, as médias mais elevadas foram atribuídas aos domínios Meio Ambiente (24.5) e Psicológico (17.1), enquanto que as médias mais baixas recaíram nos domínios Nível de Independência (12.5) e Físico (13.1). Conclusão: Neste estudo, constatou se que as variáveis sociodemográficas, pessoais e clínicas influenciam diretamente a QV das pacientes. Evidencia-se que essa população necessita de avaliação e continuidade do cuidado com equipe interprofissional com ampliação da rede de apoio, corresponsabilização do cuidado, acolhimento e criação de vínculos fortes com a equipe para melhor enfrentamento da doença e para contribuição da minimização do sofrimento psíquico e maior adesão ao tratamento. Este estudo contribui para que profissionais de saúde que atendem essa população possam estar atentos aos fatores que interferem na qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV/AIDS, associando a avaliação da qualidade de vida à avaliação clínica.
Description: Introduction: HIV infection is an experience with a profound biopsychosocial impact, the still prejudiced stigma of the disease, associated with the context of gender inequality, in addition to biological, socioeconomic and cultural issues, condition women living with HIV to emotional, physical and psychological suffering, causing greater vulnerability and impairment in quality of life (QoL). Objective: To evaluate the quality of life of women living with HIV/AIDS. Method: This is a descriptive and analytical cross-sectional study developed in a Testing and Counseling Center (CTA), located in the city of Pinheiro - MA. A questionnaire was applied to collect sociodemographic data. To assess QoL, the WHOQOL-HIV BREF questionnaire was used. For data normality analysis, the Kolmogorov-Smirnov test was used. To assess the association between the variables, the T-Student Test and ANOVA were used. Results: 100 women participated in the study, ages ranged from 18 to 71 years. Among the QoL domains, the highest averages were attributed to the Environment (24.5) and Psychological (17.1) domains, while the lowest averages fell to the Level of Independence (12.5) and Physical (13.1) domains. Conclusion: In this study, it was found that sociodemographic, personal and clinical variables directly influence the QoL of patients. It is evident that this population needs evaluation and continuity of care with an interprofessional team with an expansion of the support network, co-responsibility for care, reception and creation of strong bonds with the team to better cope with the disease and to contribute to the minimization of psychological distress and greater adherence to treatment. This study helps health professionals who serve this population to be aware of the factors that interfere with the quality of life of people living with HIV/AIDS, associating the assessment of quality of life with clinical assessment.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/5936
Appears in Collections:TCCs do Curso de Graduação em Enfermagem do Campus de Pinheiro

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CARLA MICHELLE RODRIGUES ABREUvec.pdfTCC de Graduação2,01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.